13 de setembro de 2013

Os 6 jovens talentos que estarão no Mundial de Tiro ao Prato Olímpico, no Peru

Com a proximidade do Campeonato Mundial ISSF de Tiro ao Prato Olímpico - que será disputado de amanhã (14) até 25 setembro de 2013, em Lima, no Peru - chegou a hora de fazer um balanço da situação antes de passar para um evento tão importante.

Quais atiradores se destacaram, entre os jovens talentos, durante as etapas da Copa do Mundo ISSF? Aqui vai um resumo da performance dos jovens atletas do Tiro ao Prato Olímpico até agora.

Fossa Double

Ian Rupert - "Rápido e fácil". É como a Fossa Double parece ao atleta americano de 19 anos. Não deve ter sido nenhuma surpresa, então, para ele para conquistar uma medalha de bronze em Acapulco, superando Asab Mohd, da Índia, por 25 a 24 acertos. E esta foi a estréia de Rupert na fase final de uma competição na categoria Sênior (nos Mundiais de 2010 e 2011 ele terminou em sexto e sétimo na categoria júnior). Primeiro tentativa, primeiro pódio.

Um grande dia de Rupert desde o início que, sendo o mais novo concorrente, se classificou para a final da prova estabelecendo o novo recorde mundial de 136 acertos. Seu segredo? Muito trabalho. "Eu treino bastante", disse Ian. Recentemente, estive em Fort Benning, na Georgia, com a minha equipe por duas semanas e tivemos bons treinos lá".

Fossa Olímpica

Ashley Carroll - Um quinto lugar não diz tudo. Foi o que Carroll obteve em Granada, mas que deixa muito a dizer sobre isso: primeiro, a atleta de 18 anos de Solvang, Califórnia, se classificou para a final depois de uma brilhante performance (72 acertos em 75 alvos) na qualificação e um shoot-off final. Em segundo lugar, Ashley ficou sem a sua espingarda - que se perdeu em algum aeroporto a caminho de Granada - por quatro dias antes do início da competição, e só a teve de volta um dia antes da prova. O terceiro e último argumento: essa foi a sua estréia numa fase final de competições ISSF.

Laetisha Scanlan - Em Al Ain , a Austrália foi muito bem, classificando duas atletas de sua equipe para a disputa da medalha de ouro. Scanlan, 23 anos, levou a melhor sobre Catherine Skinner, sua colega de equipe, superando-a por 14 a 10.

Laetisha, debutando em uma disputa por medalha em Copas do Mundo ISSF, só perdeu três alvos durante todo o dia, até chegar à medalha de ouro. Mas a jovem australiana estava focada na Austrália: "Nós temos um monte de atletas da categoria Júnior em desenvolvimento" - disse Scanlan - "que estão formando as equipes e atirando bem o suficiente para competir contra atletas importantes. É ótimo para o esporte, é ótimo para a Austrália e eu estou muito feliz com isso".

Silvana Stanco - A atiradora italiana de 20 anos não poderia pedir mais: duas medalhas (bronze no México, ouro no Chipre) em apenas quatro meses (de março a junho), nas suas duas primeiras aparições em etapas da Copa do Mundo ISSF.

Na sua estréia em Acapulco, Silvana bateu Jana Beckmann, da Alemanha, por 13 a 10 na disputa pela medalha de bronze, que foi contestada pela primeira vez na história ISSF. Em Nicósia, ela fez ainda melhor: superou Catherine Skinner, da Austrália, e ficou com o ouro. E com uma impressionante carência de treinos por causa de sua vida universitária. "Eu realmente não tenho podido treinar durante a semana ultimamente, somente nos fins de semana. De segunda a sexta-feira eu estava ou frequentando as aulas ou estudando", explicou.

Jessica Rossi estava no mesmo pódio de Silvana Stanco nessa etapa da Copa do Mundo (a campeã olímpica ficou em segundo lugar). Agora, mesmo que no começo do ano parecesse uma estranha previsão, as duas estão na corrida por uma vaga para Rio 2016. Silvana tem um papel importante na equipe italiana, e o treinador da equipe vai passar por tempos difíceis quando for a hora de decidir quem vai usar o uniforme da Itália nos próximos Jogos Olímpicos. Ninguém pode esquecer o desempenho de Jessica Rossi em Londres 2012, mas ela agora tem uma brilhante adversária na equipe.

Skeet

Tom Jensen - Você pode vencer a qualificação - igualando o recorde mundial (124 acertos), triunfar na semifinal (15/16) e liderar a disputa pela medalha de ouro (14/15). Mas isso não significa necessariamente que você irá conquistar o ouro, porque apenas um erro pode estragar tudo.

Tom Beier Jensen, da Noruega, 23, sabe alguma coisa sobre isso. Em Granada, ele não conquistou o degrau mais alto do pódio apesar de uma performance incrível, como você pode perceber pelos números mencionados acima.

O que impediu Tom Jensen de vencer pela primeira vez uma etapa de Copa do Mundo ISSF foi um erro fatal (a três disparos do fim), que deu ao outro concorrente - Jan Sychra, da República Checa - a chance de virar a maré da prova e disputar um shoot-off final.

De qualquer forma, Tom ainda conseguiu sorrir e não pegar no pé das novas regras, que não o ajudaram. "Estou feliz", disse ele. "Começar do zero na final é estranho, mas eu ainda acho que o melhor vai ganhar". Uma boa atitude, conquistada depois de um bom trabalho. "Em 2013 eu mudei de atitude", disse o atleta da Noruega. "Estou mais focado e não fico nervoso o tempo todo". E isso trouxe a Jensen suas duas primeiras medalhas em Copas do Mundo de sua carreira (além da de Granada, outra em Al Ain).

Finalmente, Jensen - ainda pensando no 1º lugar que deixou escapar - revelou seu sonho: sair com o ouro do Campeonato Europeu (que seria disputado algumas semanas mais tarde), e se mesmo com vingar-se da frustração de Granada. E adivinhem: Ele fez isso. Em Suhl, Alemanha, Tom levou o primeiro lugar na fase de qualificação (124 acertos, igualando mais uma vez o recorde mundial), fechou a semifinal em primeiro (15 acertos, empatado com Luigi Lodde, da Itália) e, logo em seguida, dominou a final, onde derrotou o atleta italiano por 15 a 12. Tom aprendeu a lição. Agora, ele pode desfrutar de seu primeiro ouro.

Amber Hill - Dificilmente uma menina de 15 anos de idade foi tão longe como Amber Hill foi. Ela começou (com 10 anos de idade) em Binfield, uma pequena aldeia inglesa em Berkshire - quando escolheu entre o tiro do seu avô e o rúgbi do seu irmão, em 2007. Quatro anos depois ela já havia conquistado diversos títulos nacionais, e o seu destino final já tem onde, quando e qual: Rio de Janeiro, Brasil, 05 a 21 agosto de 2016, Jogos Olímpicos, Skeet feminino.

Cerca de três anos antes da maior festa esportiva do mundo, Amber Hill já provou que ela está pronta para esse evento. Acapulco, México, 22 de março de 2013: Amber passa pela fase de qualificação estabelecendo o novo recorde mundial Júnior (68 acertos). Em seguida, passou pela semi-final no topo da classificação (15 acertos), apesar de estar competindo com oponentes de classe mundial, como a italiana Chiara Cainero (Campeã Olímpica em 2008), que terminou em 3º.

Classificada para a disputa pela medalha de ouro, a jovem Amber vence o duelo (15 a 11) contra a também italiana Diana Bacosi (28 anos, uma multi-medalhista em Copas do Mundo) quando, finalmente, chega à cobiçada medalha de ouro.

Amber Hill está a caminho do Rio 2016, quando não terá nem 20 anos de idade. Será que ela vai repetir o feito?

Fonte: ISSF (traduzido e adaptado)

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...