19 de setembro de 2013

Hansen é ouro no Skeet em Lima: "Tenho um emprego normal. Treino nas horas vagas"

Jasper Hansen - Dinamarca - Skeet - Campeonato Mundial ISSF de Tiro ao Prato Olímpico - Foto: Divulgação/ISSF

O atirador dinamarquês de 32 anos conquistou o título mundial, batendo o italiano campeão olímpico de 1996 numa disputa apertada até o final. Falco levou sua 5ª medalha de prata em campeonatos mundiais, perdendo a única medalha de ouro que falta na sua coleção.


Jasper Hansen, da Dinamarca, se tornou o novo campeão mundial do Skeet masculino ontem, no Campeonato Mundial ISSF de Tiro ao Prato Olímpico 2013 realizado em Lima, no Peru. Hansen provavelmente não esperava por isso. O atirador de 32 anos, 12º do ranking mundial, nunca havia conquistado uma medalha de ouro em uma competição internacional. Mas, como ele disse, era o seu dia.


Desde as qualificações, o atirador dinamarquês parecia estar extremamente focado. Classificar-se para a semi-final com 123 acertos foi apenas o primeiro passo da estrada de Hansen para o título mundial. Na semi-final, ele quebrou 15 pratos, terminando na liderança e empatado com Ennio Falco, da Itália, e Henrik Jansson, da Suécia. Em seguida, vencendo Jansson num shoot-off, avançou para a disputa pela medalha de ouro ombro e ombro com o italiano.

"Fim de jogo", pensou Hansen. Falco, campeão olímpico dos Jogos de 1996, competindo desde os anos 80, já havia terminado em segundo em quatro edições do Campeonato Mundial. "Ele não vai perder o ouro mais uma vez", pensou Hansen. "Não é divertido estar em uma disputa por medalha de ouro contra um dos mais fortes atiradores de tiro ao prato do mundo, que vem procurando essa medalha a 20 anos"!

A estação 5 foi o ponto de viragem da final. O atleta italiano de 45 anos perdeu seu primeiro prato, dando uma vantagem de um acerto para Hansen. "Esse foi o momento crucial. Foi quando pela primeira vez pensei que poderia realmente vencer. Eu disse para mim mesmo: Peguei ele. Eu estava zerado, e limpei a estação 5 e a estação 4. E terminei com uma pontuação perfeita de 16 acertos e conquistei o título", explicou.

"Isso vale a pena", disse Hansen. "Eu não sou um atirador profissional. Eu trabalho todos os dias das 6h da manhã às 4h da tarde para ter algumas horas livres para treinar à noite". "Eu gastei mais de 15 mil cartuchos este ano para me preparar para este campeonato e para me adaptar à minha nova Beretta DT11. É difícil quando você tem que fazer tudo isso paralelamente ao seu emprego normal, e ao mesmo tempo você começa a competir contra atletas cujo único trabalho é atirar", completou. 

O atirador dinamarquês atingiu o ponto mais alto da sua carreira, hoje. Mas isso não é o fim, é apenas o começo, ele disse. "Vou competir na final da Copa do Mundo ISSF, em Abu Dhabi, em outubro. Eu quero ganhar mais".

Sonho quebrado

"Estou feliz por estar no pódio novamente. Mas o meu objetivo era o título", lamentou Ennio Falco, da Itália, no final da competição, após conquistar a sua quinta medalha de prata de Campeonato Mundial. Após a qualificação, com 122 acertos e mais 12 no shoot-off, Falco quebrou 15 pratos na semi-final e 15 na disputa pelo ouro. Não foi o suficiente para conquistar esse ouro que ele tem perseguido desde a sua primeira medalha Campeonatos Mundiais, um bronze, conquistado em 1994.

O atirador italiano, que começou a competir em 1983, ganhou tudo em sua carreira, menos um título de campeão mundial. Cinco finais de Copa do Mundo, dez etapas de Copa do Mundo, cinco Campeonatos Europeu e os Jogos Olímpicos de 1996 não são suficientes para esse campeão, que dedicou sua vida ao esporte do tiro. "Dói um pouco. O ouro do Campeonato Mundial é a única medalha que me falta. Conquistei cinco de prata e três bronzes neste evento. Hoje deveria ter sido o dia para conquistá-lo", concluiu. 

O virá em seguida? Graças a essa medalha de prata, Falco se qualificou para a final da Copa do Mundo ISSF 2013, a ser realizada em Abu Dhabi, em outubro. Lá, ele terá a chance de conquistar seu sexto título em finais de Copa do Mundo: mais do que qualquer outra pessoa na história do Skeet.

Bronze para a Suécia

A medalha de bronze foi para Henrik Jansson, da Suécia, que bateu o segundo finalista italiano Giancarlo Tazza na disputa pela medalha por 15 a 14 hits. Ambos haviam se classificado com 123 acertos; Tazza quebrou 14 pratos na semi-final, contra 15 do sueco. Jansson, 26 anos, havia ganho uma medalha de prata na etapa de Nicósia da Copa do Mundo ISSF, subindo para o 11º lugar no ranking mundial.

Sven Korte, da Alemanha, em quinto lugar, fechou a semi-final com 14 acertos, depois de perder um shoot-off para a disputa pelo bronze contra Tazza. Ele foi seguido por Tomas Nýdrle, da República Checa, em sexto, com 11 acertos.

O atual campeão olímpico, Vincent Hancock (EUA), terminou em 10º lugar com 121 acertos na qualificação; um alvo distante da semi-final.

Itália no topo do pódio equipes

Ennio Falco e seus companheiros de equipe Giancarlo Tazza e Luigi Lodde terminaram no topo do pódio por equipes com uma pontuação global de 365 acertos: igualando o recorde mundial. A República Checa (Tomas Nýdrle, Jan Sychra e Jakub Tomecek) e Noruega (Ole Eilif Undseth, Tom Beier Jensen e Tore Brovold), terminaram em segundo e terceiro lugar, com 362 acertos cada.

Brasil

Os atiradores brasileiros ainda não atiraram neste Campeonato Mundial. Amanhã, a partir da 11h da manhã, Jaison Santin, Filipe Fuzaro e Erico Fuzaro estarão na disputa pela Fossa Double. As finais acontecem às 18h30.

Fonte: ISSF (traduzido e adaptado)

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...