9 de julho de 2013

Schmirl conquista o ouro na Carabina Deitado em Granada; Cassio Rippel garante mais uma vez o 5º lugar

Alexander Schmirl - Áustria - Carabina Deitado - Copa do Mundo ISSF de Tiro Esportivo 2013

Alexander Schmirl tinha perdido uma medalha no último tiro na Carabina de Ar 10m. Lição aprendida durante a noite: "me acalmei e hoje eu fiz isso", disse. Brandt, da Dinamarca, ficou com o segundo lugar, apesar de um ombro ferido.


"Eu amo de tiro de Carabina de Ar. A Carabina Deitado não é a minha melhor prova. Mas hoje foi ótimo!", comemorou Alexander Schmirl, da Áustria, o vencedor da Carabina Deitado, prova realizada ontem.


O atirador de 23 anos, de Viena, marcou 209,5 pontos na final, terminando no topo do pódio e conquistando a sua primeira medalha de ouro em competições da ISSF. Schmirl liderou a final desde os primeiros tiros, vencendo com uma estreita margem de 0,9 pontos de distância do segundo colocado, Carsten Brandt, da Dinamarca, que fez 208,6 pontos. Com 187,3 pontos, a medalha de bronze foi para o alemão Henri Junghaenel, 25, vencedor da primeira etapa da Copa do Mundo ISSF do ano em Changwon, na Coréia do Sul. Vitali Bubnovich, da Bielorrússia, que estabeleceu um novo recorde mundial de 630,7 pontos durante as qualificações, foi o primeiro a ser eliminado da etapa final. Terminou em oitavo, com 80,9 pontos.

Schmirl competiu na Carabina de Ar 10m um dia antes, terminando em quarto lugar. Uma lição aprendida, disse ele. "Eu perdi uma medalha na Carabina de Ar 10m no último tiro. Hoje, eu repeti para mim mesmo que deveria me acalmar e não pensar sobre isso. E funcionou!", explicou. "Eu comecei a atirar quando tinha 10 anos graças ao meu pai, que é o presidente de um clube de tiro perto da nossa casa. Quando eu terminei a escola, me tornei profissional. Eu tenho atirado há anos e estes resultados são recompensadores", disse o austríaco.

Ainda há uma prova de Carabina nesta etapa da Copa do Mundo em Granada, mas Schmirl já está ansioso para a próxima temporada: depois do ouro na Carabina Deitado, é hora de realizar um sonho. "Conquistar uma vaga para os próximos Jogos Olímpicos é o meu grande sonho. Este campo de tiro é grande, o estande de 10 metros é simplesmente perfeito. Espero ter uma chance de qualificação olímpica no Campeonato Mundial do próximo ano, a ser realizado aqui. Eu vou trabalhar por isso.", concluiu.

Se a final foi uma grande vitória para o jovem atleta, a Carabina Deitado se transformou em um retorno triunfal para Carsten Brandt, 49 anos, da Dinamarca, que havia participado pela última vez de uma final em 2006. "É ótimo estar de volta, principalmente após o acidente.", disse Brandt. "Eu sofri um acidente de carro em setembro passado e quebrei meu ombro. A recuperação é demorada, e por isso atirei muito mal na última etapa da Copa do Mundo, em Munique. Mas o calor aqui em Granada me ajudou um pouco.", explicou. 

O clima de Granada pode ter desempenhado um papel importante, mas as novas regras também o ajudaram a conseguir uma medalha. O atirador dinamarquês entrou na final em sexto lugar, com 626,2 pontos, quatro pontos atrás dos melhores atiradores. Mas o placar da qualificação não é mais levado para a final e uma grande pontuação final de 208,6 pontos o alçou ao segundo degrau do pódio.

"As novas regras me deram uma nova motivação. Comecei a atirar em 1977 e desde então apenas algumas coisas haviam mudado no nosso mundo. Agora, algo está se movendo. Acredito que esse novo formato é ótimo para os espectadores.", disse Brandt. "Claro, coloca mais pressão sobre os atiradores, mas eu não vejo isso como uma desvantagem. A nova final exige novas habilidades: você precisa saber lidar com a pressão, se você quiser terminar no pódio. É emocionante, e é motivador. E ela trabalhou a meu favor!", conclui.

Cassio Rippel (BRA) - Carabina Deitado - Copa do Mundo ISSF de Tiro Esportivo
O brasileiro Cassio Rippel também teve um grande dia. Após se classificar em 7º lugar com 626 pontos, o paranaense de 35 anos se superou e terminou, pela segunda vez na temporada 2013, em 5º lugar na Carabina Deitado - prova na qual é o 17º no ranking mundial. O atleta brasileiro já havia conquistado a 5ª colocação na etapa de Fort Benning e, na etapa passada, em Munique, a 13ª posição.

O nível estava alto. A pontuação alcançada por Rippel na final de ontem (144,9) foi superior à da final da 2ª etapa (143,4), em Fort Benning (EUA), quando terminou também em 5º lugar. Por apenas 0,1 ponto deixou escapar uma colocação melhor para o atleta da Mongólia, Bayaraa Nyantai, que havia se qualificado em 7º lugar, com uma pontuação menor que a do brasileiro.

Cassio Rippel ainda não se despediu de Granada. Ainda disputará a Carabina 3 Posições, ao lado dos brasileiros Bruno Lion Heck e Rocco Rosito.

Fonte: ISSF (traduzido e adaptado)

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...