7 de julho de 2013

Peter Sidi supera jovens talentos e volta ao topo da Carabina de Ar na última etapa da Copa do Mundo 2013

Peter Sidi - Hungria - Carabina de Ar 10m - Copa do Mundo ISSF de Tiro Esportivo 2013

O campeão húngaro ganhou sua terceira medalha do ano nesta prova; seu primeiro ouro. Ele conduziu a prova com uma grande pontuação, mas os jovens atiradores, verdadeiras revelações, o estão desafiando no caminho para o Rio de Janeiro.


Peter Sidi, da Hungria, 34 anos, venceu a Carabina de Ar 10m na quarta e última etapa da Copa do Mundo ISSF de Tiro Esportivo 2013 em Granada, Espanha. Sidi terminou no topo do pódio com 206,2 pontos, 0,6 pontos à frente de Wang Tao, da China, que havia liderado as qualificações.

O húngaro, detentor do recorde mundial, chegou à final com uma pontuação de qualificação de 626,4 pontos. Mas com as novas regras, a pontuação de qualificação não é transportada para a final, onde todos os atiradores começam do zero novamente. Sem problemas para Sidi, que com uma série de 10,7 e também uma grande 10.9, atirou a maior média da final para garantir a medalha de ouro.

Sidi, um dos melhores atiradores de carabina do mundo, se adaptou rapidamente às novas regras da Carabina de Ar 10m. Desde o início da temporada ele sempre foi à final, conquistando uma medalha de bronze em Changwon e uma de prata em Munique, onde também estabeleceu o novo recorde mundial com 633,5 pontos.

Wang Tao, da China, simplesmente não pôde suportar grande série de Sidi. O atleta de 30 anos, de Beijing, terminou na segunda colocação, embolsando a medalha de prata com 205,6 pontos.

A prova de ontem virou os holofotes sobre a juventude: seis dos oito finalistas tinham 25 anos de idade ou menos. O mais bem sucedido deles foi o alemão Julian Justus, de 25 anos, Engenheiro por formação, que garantiu a medalha de bronze com 185,4 pontos, depois de atirar uma grande última série (10,3 e 10,6).

O mais jovem finalista da prova, Davis Connor, dos EUA, 20 anos, estreando em finais foi o primeiro a deixar a final, após oito tiros, terminando em oitavo lugar com 80,0 pontos.

Serhiy Kulish, da Ucrânia, 20, medalhista de bronze dos Jogos Olímpicos da Juventude de 2010, foi eliminado após o 10º tiro e ficou em sétimo lugar com 101,7 pontos, enquanto Juho Kurki, da Finlândia, de 21 anos desembarcou em sexto lugar, com 122,9 pontos.

Outro medalhista olímpico da Juventude, Illia Chareika, 20, da Bielorrússia, terminou em quinto lugar, com 143,6 pontos, confirmando mais uma vez que os Jogos Olímpicos da Juventude são, provavelmente, o melhor lugar para se descobrir novos talentos.

Mas isso não é tudo: o atirador austríaco Alexander Schmirl, de 23 anos, alcançou nesta final sua melhor colocação internacional até hoje, um quarto lugar garantido com 163,6 pontos.

Os brasileiros da prova não atiraram bem. Bruno Lion Heck, que na etapa passada - em Munique - fez 618,9 pontos, atirou ontem para 611,5 e ficou em 62º lugar. Rocco Rosito, com 608,7 pontos, ficou com a 69ª colocação.

Sidi terminou em primeiro hoje, mas há uma série de jovens atiradores que tentam surpreendê-lo no caminho para os Jogos do Rio 2016. Experiência ou juventude, o que vai prevalecer?

Fonte: ISSF (traduzido e adaptado)

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...