14 de junho de 2013

Erik Varga supera 3 campeões olímpicos e fica com o ouro na Fossa Olímpica, 6 anos depois de sua última vitória

Erik Varga - Eslováquia - Fossa Olímpica - Copa do Mundo ISSF de Tiro ao Prato - Tiro Esportivo

As qualificações, semi-finais e a disputa pela medalha de ouro não foram suficientes para decidir as medalhas da Fossa Olímpica masculina na terceira etapa da Copa do Mundo ISSF de Tiro ao Prato. Erik Varga, da Eslováquia, teve que passar por um emocionante shoot-off antes de poder embolsar a medalha dourada.


O atirador de 36 anos, de Sladkovicovo, na Eslováquia, se classificou para a semi-final com 122 acertos de 125 alvos possíveis, em um dia de vento no campo de tiro olímpico de Nicósia, Chipre. Varga terminou em segundo na semi-final, com 14 de 15. Bom o suficiente para se classificar para a disputa da medalha de ouro, onde encontrou com Josip Glasnovic, 30 anos de idade, da Croácia.


Os dois finalistas terminaram com um prato perdido, terminando empatados na disputa pelo ouro com 14 acertos cada. E foi um shoot-off para decidirque decidiu as medalhas. Um shoot-off que se transformou a favor de Varga, que venceu o duelo contra Glasnovic por 13  a 12.

Ao mesmo tempo, o campeão olímpico de 2004, Alexy Alipov, da Rússia, 37 anos, derrotou Jiri Liptak, da República Tcheca, na disputa pela medalha de bronze por 15 a 13, terminando no pódio com a pontuação semi-final de 13 acertos e uma pontuação de qualificação de 123 pratos quebrados.

O campeão olímpico reinante, Giovanni Cernogoraz, da Croácia fechou a prova em sexto lugar, depois de atingir 10 alvos na semi-final, enquanto o campeão olímpico de 1996 e 2000 Michael Diamond, da Australia, ficou com o quinto lugar, com 12 acertos.

Varga havia vencido sua última Copa do Mundo ISSF em 2007, em Changwon, na Coréia do Sul. Seis anos é muito tempo, mas o campeão nunca desistiu. "Eu treinei muito e esta vitória é muito importante para mim", disse ele. "Todos os melhores atiradores do mundo estavam competindo aqui hoje, como se fosse um campeonato mundial".

O campo de tiro de Nicósia foi o lugar certo para voltar ao topo de um pódio ISSF. "Eu atirei em muitas competições aqui no Chipre, desde quando era um atirador Junior. Eu gosto desse campo aqui, mas ele é bastante desafiador. O vento faz com que seja difícil", explicou.

O shoot-off? Uma vez que Varga começou, parecia que ninguém poderria impedi-lo. "Essa foi a parte mais difícil da prova. Treinei muito para shoot-offs. Os cinco primeiros alvos são os mais difíceis, mas quando eu entro no ritmo, posso continuar para sempre". 

Foi uma prova difícil, mas o objetivo do campeão agora é descansar. "Eu vou ficar algum tempo fora; não vou participar da próxima etapa da Copa do Mundo. Estou ansioso para umas férias em algum lugar exótico, com meu filho e minha esposa. Ela, que faz parte da equipe nacional eslovaca de Carabina há anos, sabe como me sinto depois de uma competição. Ela me entende", afirmou.

Bom para Varga, porque ele tem mais algumas viagens para fazer antes do final da temporada. "Eu vou estar no Campeonato Europeu e no Campeonato Mundial, em Lima, Peru. Esse é o objetivo da temporada", concluiu.

Os dois brasileiros que participaram da prova não foram bem. Andre Altobello e Mascos Sérgio Gonsalez ficaram em 72º e 78º com 108 e 104 pratos quebrados respectivamente.

Fonte: ISSF (traduzido e adaptado)

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...