28 de maio de 2013

China leva ouro e prata na Pistola 25m na etapa de Munique da Copa do Mundo 2013


Yuan Jing (CHI) - Pistola 25m - Copa do Mundo ISSF de Carabina e Pistola 2013 - Tiro Esportivo

Yuan Jing, 26, bateu sua companheira de equipe Zhang Jingjing, 24, na disputa pela medalha de ouro da Pistola 25m. Heidi Diethelm Gerber, da Suíça, garantiu o bronze ao vencer Jo Un Mi, da Coréia do Norte, na disputa pela medalha.


Duas atletas chinesas se reuniram na disputa pela medalha de ouro da Pistola 25m. Yuan Jing, 26, enfrentou Zhang Jingjing, 24, no duelo final para garantir a medalha dourada.


Yuan não deu muitas chances e bateu sua companheira de equipe por 7 a 1. Depois de empatarem na primeira série da disputa pela medalha de ouro, Yuan venceu todas as outras séries, até chegar a sete pontos, pontuação necessária para ganhar a prova. A atiradora de 26 anos, que conhece o estande de tiro de Munique muito bem, estava entre as favoritas. Ela já havia conquistado duas medalhas de ouro nas temporadas de 2009 e 2011 da Copa do Mundo neste mesmo estande.

Zhang garantiu a medalha de prata com apenas um ponto. Ela conquistou sua última medalha ISSF em Pequim, em 2010, quando tinha apenas 21 anos de idade. Este ano, ela ainda não havia ganho uma medalha. Seu melhor resultado até aqui havia sido o quarto lugar na etapa da Copa do Mundo ISSF em Changwon, Coréia do Sul.

Heidi Diethelm Gerber, da Suíça, de 44 anos, disputou a medalha de bronze com a norte-coreana Jo Un Mi, de 19 anos. Diethelm Gerber disputal a final nas duas etapas anteriores da Copa do Mundo, em Fort Benning e Changwon, terminando em sétimo e sexto, respectivamente, enquanto Jo nunca havia participado de uma competição ISSF antes. Diethelm Gerber fez valer sua experiência e superou sua jovem adversária com facilidade para garantir a medalha de bronze.

Mas o melhor da história é sobre como Jo entrou para a disputa pela medalha. A jovem norte-coreana estava empatada em quarto lugar com a campeã olímpica de 1988, Nino Salukvadze, da Geórgia. Um shoot-off foi necessário para decidir quem ia ser eliminado e quem iria para disputa pela medalha de bronze. O árbitro deu o comando: shoot-off entre Jo e Salukvadze. Mas Jo não entendeu o comando. Ela nunca havia participado de uma competição internacional antes e as regras das finais são todas novas. Jo simplesmente não atirou.

Salukvadze só precisava de um acerto para vencer o desempate, mas ela não conseguiu tirar proveito da situação. A atiradora da Geórgia disparou os cincos tiros e não obteve nenhum acerto. Os espectadores não estavam acreditando. Mas isso não é tudo.

Uma vez que as duas atiradoras ainda estavam empatadas, o árbitro ordenou um segundo shoot-off. Dorjsuren, atiradora alemã, explicou a Jo que ela devia disparar - grande exemplo de fair play, mas mais uma vez a norte-coreana não disparou. Motivo: mau funcionamento da sua pistola. Nesse meio tempo, Salukvadze perdeu novamente seus cinco disparos.

Quando o árbitro autorizou Jo a atirar, pela terceira vez, após a correção do mau funcionamento, a jovem atleta só conseguiu um acerto. Mas foi o suficiente. Na sua primeira vez como finalista, Jo bateu Salukvadze, 48 vezes finalista, com 1 acerto em 10 tiros no shoot-off. Algo assim nunca tinha acontecido antes na história do tiro esportivo.

Salukvadze foi eliminada, juntamente com Joanna Tomala, da Polónia, 19; a duas vezes medalhista olímpica de bronze Munkhbayar Dorjsuren, 43, da Alemanha, e Inna Klymenko, 24, da Ucrânia.

A equipe brasileira da Pistola 25m não passou da qualificação. Ana Luiza Ferrão ficou em 63º lugar com 559 pontos, Roberta Mota ficou em 75º com 551, e Rachel Silveira em 80º com 540. Ana Luisa Ferrão e Roberta Mota estarão na disputa da Pistola de Ar 10m amanhã. 

Fonte: ISSF (traduzido e adaptado)

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...